EventosRH

Contatos com Amigos e Conhecidos

Por: Paulo Pereira   13/07/2011 - 08h38m


Siga-nos: Siga-nos no Linkedin  Siga-nos no Facebook

Quem tem padrinho não morre pagão. É um dito popular, muitas vezes até mesmo usado de forma pejorativa, em especial quando se trata de apadrinhamento no serviço público ou situação de discriminações por preferências duvidosas.
 
Pejorativo ou não, o fato é que este ditado popular, no mercado de trabalho, na hora do preenchimento das posições vagas, tem uma força incrível, mas com uma grande diferença: é algo muito positivo, bem visto e estimulado nas relações dentro das empresas e consultorias em geral.
 
Para qualquer tipo de profissional, em qualquer nível hierárquico, das posições mais simples às mais complexas, esta é uma das principais alternativas que as empresas utilizam para contratar novos profissionais.
 
As empresas estão cada vez mais receptivas a contratarem seus profissionais a partir de boas indicações. E não é para serem boazinhas com seu pessoal, não, e passar uma imagem de família, ou algo parecido. Na realidade é a alternativa muito mais barata, muito mais rápida e muito mais segura, que costuma produzir excelentes resultados para elas.
 
E mesmo quando elas utilizam consultorias para realizarem os trabalhos operacionais de triagem, recrutamento e seleção dão preferência por pessoas indicadas e ou recomendadas por seus colaboradores e por outras fontes de seus relacionamentos para participarem dos processos seletivos.
 
Existem muitas outras razões para as empresas preferirem esta alternativa, além das acima mencionadas, entre elas a convicção de que quem indica acaba, indiretamente, assumindo alguma responsabilidade pelo sucesso do indicado e até mesmo, quando possível, ajudando-o na integração na empresa, na compreensão da cultura organizacional, no treinamento, etc. E o indicado também está comprometido com quem o indicou. Seu esforço em acertar acaba sendo maior.
 
Estabeleça contatos com pessoas amigas e conhecidas, de preferência pessoalmente e com hora marcada, e informe-as sobre sua disponibilidade, seus interesses, suas atuais habilidades e qualificações, com cuidado para não fazê-las se sentirem pressionadas em ajudá-lo, com a transferência de seu problema pessoal.
 
Se você é do tipo do profissional que só lembrou da pessoa neste momento em que está precisando divulgar sua disponibilidade e encontrar uma ocupação, um emprego ou um trabalho, as chances dela se envolver mais ativamente com seus interesses, obviamente, serão menores.
 
Agora, se você já tem o saudável hábito de manter contatos com seus amigos e conhecidos, sempre preservando e desenvolvendo uma importante e saudável rede de relacionamentos, a atitude por parte deles certamente será diferente e mais positiva frente aos seus interesses.
 
Como mencionei em item anterior, costumo dizer para meus interlocutores que se consegui alguma coisa na vida, em termos profissionais e pessoais, credito quase tudo aos amigos e conhecidos que conheci ao longo de minha de vida. Muitos deles foram e ainda continuam sendo determinantes para meu crescimento e desenvolvimento, pessoal e profissional.
 
De nada adiantariam minhas condições pessoais, em termos de competência, experiência e habilidade, sem a ajuda que recebi e ainda recebo de tanta gente, durante toda a minha trajetória de vida, pessoal e profissional, passada e presente. E torço para que eles sempre estejam melhores do que eu, para que possam ter condições de me ajudarem sempre que recorrer a eles no futuro.
   
    Autor: 
 

Paulo Pereira, Diretor Presidente da Eventos RH
Autor do livro Profissionais & Empresas - Os Dois Lados de Uma Mesma Moeda no Mercado de Trabalho, Editora Nobel.


clique aqui.
 




Siga-nos: Siga-nos no Facebook  Siga-nos no Linkedin
 Cadastre-se para receber nossos informativos.     Cadastre também sua empresa.