EventosRH

Empresas de Assessoria no Recrutamento e Seleção

Por: Paulo Pereira   13/07/2011 - 08h40m


Siga-nos: Siga-nos no Linkedin  Siga-nos no Facebook

São assessorias especializadas em atender às solicitações das empresas que as contratam para prestar serviços de assessoria no recrutamento e na seleção dos profissionais que estão necessitando, quase sempre profissionais qualificados e ou executivos de alta gerência.
 
Em geral, as empresas recorrem a esse tipo de empresa de assessoria quando já esgotadas todas as alternativas mais econômicas e ou viáveis, ou ainda quando precisam de um apoio técnico e ou uma assessoria especial para ajuda-las na escolha do melhor candidato para uma complexa posição.
 
É neste tipo de empresa que você encontrará os famosos, temidos e mitológicos headhunters, ou caçadores de cabeças, literalmente falando, ou caçadores de talentos, no jargão de RH.
 
Mas não fique muito preocupado com eles e esteja certo de uma coisa. Eles são de carne e osso como você. A relação de importância entre vocês dois é a mesma, apenas em posições diferentes, muito embora alguns deles façam questão de se colocar em grau de importância muito diferente. Agem como se fossem verdadeiros Deuses.
 
Como em todas as profissões, nesta também há os maus e os bons profissionais. Para nós, um bom headhunter (ou um selecionador) é aquele que se esforça em encontrar em você o profissional que a empresa que o contratou tanto precisa. Para isto ele procura criar um clima extremamente favorável para você, orientando-o para que consiga colocar para fora toda a sua potencialidade, habilidades e capacitações.
 
Ele o vê como um "recurso" nobre, quase um luxo, e o trata com todo o respeito, profissionalismo, carinho, atenção e desprendimento possíveis. Ele torce para você acertar e até lhe dá orientações seguras e necessárias, na mais absoluta transparência e ética, para que você atinja o seu objetivo - que indiretamente resolverá o objetivo dele.
 
Já o mau headhunter (ou um selecionador) é aquele que age de forma diferente e se posiciona como o dono absoluto da vaga (e isto pode ser verdade) e espera que você o convença e que tome todas as iniciativas para mostrar a ele que você é o melhor dentre os candidatos, muitas vezes fazendo um jogo manipulativo que só beneficia o ego dele.
 
Não deveria haver cobrança de qualquer honorário junto ao profissional que está sendo contratado por intermédio desse tipo de empresa de assessoria, mas nem sempre isto é verdade, já que alguns profissionais se aproveitam da situação e fragilidade de determinados candidatos e cobram por isso. Pior ainda, eles cobram tanto da empresa quanto do próprio candidato.
 
Mas não vamos generalizar, pois dependendo da cobrança que for feita, ela pode ser justa, pois poderá estar realmente relacionada com algum outro tipo de serviço e ou de assessoria especial que a empresa de consultoria tenha oferecido ao profissional, antes, durante ou após o processo seletivo.
 
A regra é simples. Salvo se tenha havido algum tipo de serviço ou uma assessoria especial prestados a você e desde que previamente combinados e ou negociados, nunca pague nada a um headhunter só por ele estar lhe aprovando para uma determinada posição. Ele já estará sendo remunerado exatamente para fazer isto pela empresa onde você está se candidatando e poderá ingressar.
 
É raro, mas existem empresas e headhunters que combinam entre si uma forma de prestação de serviços pouco ética, considerando a prática corrente e usual no mercado. Elas pedem que eles façam o trabalho de assessoria para elas, mas que apresente a conta dos serviços para você. E muitos deles, por várias razões e necessidades pessoais, que não vem ao caso, ou por desvio de conduta mesmo acabam se sujeitando a este inadequado papel.
 
Observe as características de cada um deles, como estão lhe tratando, se estão de cobrando algo que julga indevido, etc. Lembre-se. Um headhunter (ou um selecionador) pode ser o cartão de visita da empresa para a qual você está se candidatando. Diga-me que com quem andas e te direi quem és... Você conhece essa frase?
   
    Autor: 
 

Paulo Pereira, Diretor Presidente da Eventos RH
Autor do livro Profissionais & Empresas - Os Dois Lados de Uma Mesma Moeda no Mercado de Trabalho, Editora Nobel.


clique aqui.
 




Siga-nos: Siga-nos no Facebook  Siga-nos no Linkedin
 Cadastre-se para receber nossos informativos.     Cadastre também sua empresa.