EventosRH

Definindo o Perfil da Posição e do Profissional Desejado

Por: Paulo Pereira   13/07/2011 - 08h45m


Siga-nos: Siga-nos no Linkedin  Siga-nos no Facebook

Esta etapa, realizada internamente na empresa, é extremamente importante no processo como um todo. É nela que a empresa define o que está necessitando para obter novos ou melhores resultados para seu negócio, bem como o tipo de profissional que ela gostaria de ver perseguindo os objetivos planejados para a posição.
 
Ela pode estar criando a posição naquele momento ou procurando um outro profissional para ocupá-la em substituição a um outro. A definição do perfil, em linhas gerais, compreende o seguinte:
 
Identificação das tarefas, atribuições, características e responsabilidades inerentes à posição;
 
Resultados esperados para a posição, que devem ser perseguidos e alcançados por seu ocupante;
 
Habilidades, experiência e conhecimentos, mínimos ou desejados, que o ocupante deve possuir para poder desempenhar satisfatoriamente suas atribuições e responsabilidades;
 
Características pessoais (estilo, postura, atitudes, liderança, comunicação e capacidade de se relacionar), mínimas ou desejadas, que o ocupante deve possuir para poder ocupar a posição e para se adaptar a ela, levando-se em consideração a cultura e ambiente geral da empresa (estilo de gestão, políticas específicas e estrutura hierárquica), bem como muitas outras de suas características (localização, tipo de negócio, porte e ambiente físico).
 
Nesta etapa, o seu poder de influência é praticamente inexistente ou nenhum. Entretanto, em algumas raríssimas exceções ou em determinadas situações no transcorrer do processo de recrutamento e seleção de pessoal como um todo, pode surgir alguma possibilidade para você poder interferir e propor mudanças no perfil anteriormente planejado e definido pela empresa.
 
Pode ter certeza de uma coisa. Se em uma dessas raríssimas exceções a empresa aceitar mudança no perfil da vaga e ou do profissional desejado com base em suas observações, críticas e sugestões, considere-se praticamente contratado, pois você conhece tudo da posição ou detectou alguma falha ou uma alternativa que melhore as condições para ela obter os resultados que está pretendendo com a contratação ou com a criação da posição.
 
Você deve ficar atento, portanto, ao que a empresa está pretendendo conseguir com a contratação ou com a criação da posição. Se perceber que pode contribuir, acrescentado algo ao perfil anteriormente planejado e definido, tanto da posição como do profissional desejado, e sem, com isso, demonstrar uma intromissão nos assuntos internos da empresa ou estar tentando tirar proveito próprio, vá em frente. Isto não é proibido e só pode ajudá-lo.
 
Mas muito cuidado. Se não estiver absolutamente seguro do que está querendo propor ou observar, a melhor conduta que você deve ter é procurar compreender, entender e aceitar os caminhos, objetivos e a estratégia que a empresa está lhe apresentando.
 
Normalmente estas informações são fornecidas para você. Em algumas situações, de uma única vez. Em outras, em doses homeopáticas, durante as diversas etapas do processo todo.
 
Aproveite o máximo que puder para obter as informações sobre o perfil da posição em aberto e do profissional que a empresa está buscando, procurando utilizá-las a seu favor, com inteligência, ética e discrição.
 
Como você pode ver, mesmo que você seja um profissional com as qualificações e competência profissional para assumir e desempenhar as responsabilidades da posição, talvez suas características pessoais não sejam exatamente iguais ou próximas das que a empresa está procurando.
 
O inverso também ocorre. Suas características pessoais podem se enquadrar perfeitamente ao que a empresa está buscando, mas suas habilidades, experiência e conhecimentos nem tanto.
 
Então nunca se considere um candidato reprovado ou preterido. Considere e aceite sua inadequação para uma determinada posição, em um determinado momento e para uma determinada empresa como algo absolutamente normal. É assim com todo mundo, independentemente do grau de conhecimento, habilidade e especialização de cada um.
   
    Autor: 
 

Paulo Pereira, Diretor Presidente da Eventos RH
Autor do livro Profissionais & Empresas - Os Dois Lados de Uma Mesma Moeda no Mercado de Trabalho, Editora Nobel.


clique aqui.
 




Siga-nos: Siga-nos no Facebook  Siga-nos no Linkedin
 Cadastre-se para receber nossos informativos.     Cadastre também sua empresa.