EventosRH

A Seleção Propriamente Dita

Por: Paulo Pereira   13/07/2011 - 08h48m


Siga-nos: Siga-nos no Linkedin  Siga-nos no Facebook

Todas as etapas que envolvem um processo de recrutamento e seleção de pessoal são de extrema importância, mas nenhuma delas é mais importante que a etapa das entrevistas. E quanto mais finais forem as entrevistas, mais importantes e fundamentais elas irão se tornando.
 
De todas as etapas é, sem dúvida, onde mais a subjetividade se destaca, a adrenalina de ambos os lados fica alterada e os envolvidos ficam expostos a situações imprevistas, a constrangimentos, a emoções e a uma série de outros sentimentos. É a etapa onde se decidem as coisas, de um lado e de outro.
 
É uma etapa onde tanto o entrevistador quanto o candidato devem estar preparados. No entanto,  com alguma freqüência, ocorre o desencontro de preparação. Ora o candidato está preparado e o entrevistador não ou ao contrário.
 
O maior risco é quando o entrevistador não está preparado. Aí tudo vira uma questão de sorte e de oração. Vai saber o que se passa pela cabeça dele? O que será que ele entendeu de seu posicionamento? O despreparo dele tanto pode ajudar como atrapalhar.
 
Sendo chamado para as entrevistas, recarregue suas baterias, pois as suas chances estão aumentando. De novo, não se entusiasme demais.
 
Normalmente as primeiras entrevistas são uma espécie de "pente fino" ou uma continuação do processo de recrutamento. São feitas por profissionais ou técnicos da área responsável por recrutamento e seleção de pessoal ou por pessoas às quais esta missão foi delegada.
 
Não são propriamente essas pessoas que decidem por sua contratação, mas possuem um grande poder de influência que podem atrapalhá-lo  ou ajudá-lo na continuação do processo.  A área requisitante dá muita importância às opiniões e observações produzidas por eles. Dificilmente uma contratação será efetivada com observações contrárias  por eles emitidas.
 
Não cometa o erro de desqualificá-los. Comporte-se adequadamente, vendendo o seu peixe com todo o entusiasmo,  seriedade e motivação, independentemente de sua posição hierárquica em relação a eles, na hipótese de contratação. 
 
Na seqüência, sendo chamado, suas chances serão de uma em cada cinco. Este, normalmente, é o número máximo de candidatos finalistas e  você já estará diante da área requisitante, de seu futuro chefe, de seus futuros parceiros de trabalho e outros superiores.
   
    Autor: 
 

Paulo Pereira, Diretor Presidente da Eventos RH
Autor do livro Profissionais & Empresas - Os Dois Lados de Uma Mesma Moeda no Mercado de Trabalho, Editora Nobel.


clique aqui.
 




Siga-nos: Siga-nos no Facebook  Siga-nos no Linkedin
 Cadastre-se para receber nossos informativos.     Cadastre também sua empresa.